Voltar ao site

Noite de Santo António toma as ruas de Portugal

Casamentos, arraiais e marchas animam as cidades do país

· Que pais é esse

Por Valéria Basso

O santo casamenteiro é garantia de muita diversão e fé numa data tradicional para a cultura portuguesa.

Quem chegasse de repente e desavisado às ruas de Lisboa entre os dias 12 e 13 de junho, e principalmente na madrugada entre esses dois dias, poderia jurar que era Carnaval ou noite de Ano Novo, quando geralmente as ruas de diferentes cidades do mundo mais ficam super lotadas. Mas parece que o ápice das festividades favoritas da capital portuguesa, bem como em várias outras cidades, reside mesmo no mês de junho, justamente quando começa o calor!

Os santos juninos são mesmo os mais populares do país luso. Algumas cidades homenageiam São João, outras São Pedro, mas Lisboa definitivamente escolheu Santo António como padroeiro afetivo, já que o padroeiro de fato é São Vicente. Enquanto este último santo tem a história de sua morte ligada à cidade, o primeiro tem seu nascimento. Santo António nasceu com o nome de Fernando de Bulhões, perto da Sé de Lisboa, em 1195, e tornou-se Santo António de Pádua porque morreu nesta cidade italiana. O nome António foi adotado em homenagem a Santo Antão.

A casa do Santo Casamenteiro

A casa onde o santo teria nascido e passado sua infância está localizada na famosa Igreja que leva seu nome em Lisboa. Todos os anos, comprometidos e solteiros dirigem-se até o local para jogar uma moeda em direção à sua estátua a fim de encontrar um namorado ou a garantia de casamento futuro, para os que acham que já encontraram sua cara metade. Afinal, a fama de casamenteiro acompanha Santo António ao redor do mundo.

Mas... Casar pra quê?

É, a festa de Santo António é também a farra dos que não querem casar ou rezar mas sim comer e beber nas incontáveis barracas de caldo verde, bifanas, pão com chouriça, porras e farturas. Também não faltam cerveja e ginjinha no copo de chocolate para animar a pegação entre jovens e adultos. Isso não falta em festa popular de lugar nenhum do mundo moderno, não iria faltar justamente em Lisboa, terra onde nasceu o santo casamenteiro.

Ainda tem os caprichados desfiles das freguesias de Lisboa. Elas homenageiam seus lugares e em caprichadas fantasias apresentam um tema, com muita música e animação. Tudo amplamente televisionado para levar o colorido e a energia de Lisboa para outras partes do país.

Manjericos da Festa de Santo António

Manjericos

Se você passar por aqui nesses dias de junho e estranhar a quantidade de vasinhos de manjericos a se espalhar pelas cidades de Portugal, sejam eles plantados frescos em potinhos de barro, sejam em pinturas ou iluminados pelas luzes das decorações das cidades, saiba que esse saboroso tempero ainda recebe no centro do pote, uma flor de cravo em dobradura de papel vermelho, colocado bem no centro, além de um versinho de amor também espetado na plantinha. Geralmente os namorados oferecem às namoradas como forma de demonstrar o interesse que o romance dê certo. Segundo a crença popular, quem recebe o presente não deve cheirá-lo diretamente para não secá-lo. O ideal é passar os dedos por uma folha para poder sentir o aroma e cuidar para que a plantinha dure até a próxima festa.

Esse é mais um detalhe gracioso para dar ainda mais charme e sabor à festa favorita dos lisboetas. Viva Santo António!

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK