Voltar ao site

Universidades portuguesas e a integração à rotina das cidades

A vida social é um dos fatores que mais atraem estudantes

· Portugal Cotidiano,Estudantes

Por Joana Rodrigues

A localização das faculdades portuguesas é uma grande vantagem para a rotina dos alunos.

Ao contrário de outros países, como os Estados Unidos, em Portugal as universidades não são polos isolados do resto da vida citadina, uma vez que a maior parte das faculdades têm os seus edifícios no centro da cidade. Nos casos das grandes metrópoles de Lisboa e Porto, os alunos são imediatamente integrados na rotina apressada destes centros urbanos.

A localização das faculdades no centro da cidade é uma grande vantagem, quer para alunos nacionais ou estrangeiros. Em Lisboa, existe uma abundância de transportes públicos, que podem passar por comboios (trem - urbano ou intercidades), autocarros (ônibus) e metro subterrâneo (metrô - aqui se fala com acento no "e" - "métro"), e ainda existem os novos transportes compartilhados, como as trotinetes (patinetes) ou TVDE (Uber, Bolt, Kapten, Cabify).

Quanto custa andar pela cidade
Os preços dos passes de transportes tiveram, recentemente, uma baixa significativa, atingindo o preço máximo de 40€ mensais, sendo que existem, ainda, descontos para estudantes e jovens. É enorme a facilidade de deslocamento dentro da cidade, e para as suas periferias. Para além dos preços atrativos, a maior parte destes meios funcionam dentro de horários bastante abrangentes, que podem começar a partir das 6 da manhã, e operam até depois da meia noite.

Segurança

É importante discutir, ainda, a questão da segurança dentro da cidade. Lisboa é uma zona com cada vez mais moradores e frequentadores, o que contribui para o enorme fluxo de pessoas todos os dias. Tal como em todas as cidades, as companhias de transportes fazem questão de emitir avisos no que toca a assaltantes, apelando a que os utilizadores protejam os seus bens materiais. A segurança a partir de determinadas horas não é tão assegurada como durante o dia, no entanto, não existe um risco de atos violentos para com o público.

Enquanto uma jovem de 20 anos que, todos os dias, anda de comboio desde a periferia da cidade, posso partilhar a minha experiência. Até hoje, nunca me deparei com um assalto, agressão ou mesmo ameaça. Tento sempre ter cuidado com a minha bolsa e outros pertences, e costumo andar junto dos maiores grupos de pessoas, raramente me desloco sozinha. Infelizmente, uma situação que é recorrente é a do assédio sexual. No metro ou no comboio, pode acontecer que jovens sejam alvo de comentários explícitos, mas facilmente se encontra um agente da polícia ou segurança a quem se possa denunciar o ato.

Vida social

Um dos fatores que mais atrai estudantes para uma universidade acaba por ser a vida social dentro da cidade. Em Lisboa, existem inúmeras discotecas e bares habitualmente frequentados por estudantes. No verão, existem, ainda, festas em discotecas dadas com o propósito de enquadrar e dar as boas-vindas a estudantes estrangeiros. Para jovens que vivam na metrópole, é frequente a ida a bares e cafés, mesmo em dias de semana. A confraternização dentro das faculdades é feita todos os dias, não é deixada exclusivamente para o fim-de-semana. Apesar da facilidade com que estudantes de diferentes instituições se relacionam, é interessante como existem certos locais que são conhecidos por serem frequentados por alunos de uma determinada faculdade. Por exemplo, os jardins da Gulbenkian são visitados por alunos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (talvez pela proximidade geográfica).

Integração dos alunos além da sala de aula

Nem sempre é obrigatória a ida às aulas, dependendo da faculdade e dos professores. Quando não existe esta obrigação, é habitual que os alunos se encontrem, mesmo em tempo de aulas, quer seja para visitar a cidade, ou mesmo para estudar. Em Lisboa, existe uma forte comunidade criada entre os alunos, que se ajudam mutuamente em termos académicos ou pessoais. Há programas de integração de alunos, que contribuem para que caloiros e estrangeiros não se sintam postos de parte.

Praxe

Uma das mais famosas tradições em Portugal é a praxe. A praxe é organizada por alunos de 2º ou 3º ano de uma licenciatura, dirigida para os caloiros. Quem escolhe entrar nesta tradição é levado pelos mais velhos a lugares famosos da cidade, em que fazem jogos e cantam cantigas. Esta é uma prática que dura alguns meses, e só acaba quase no final do ano letivo. No final da praxe, o aluno caloiro pode escolher uma madrinha e um padrinho, dois alunos do seu curso que se ofereçam para o aconselhar e ajudar sempre que necessário. Um dos objetivos da praxe é obter uma espécie de validação social para o aluno caloiro, no final do ano, vestir o traje tradicional universitário (coincidentemente parecido aos trajes utilizados pelos alunos de Hogwarts em Harry Potter).

Em Portugal, a vida universitária é muito mais do que aulas e testes. A enorme quantidade de possibilidades oferecida pela cidade permite que os alunos se relacionem entre si, mesmo que não vivam perto uns dos outros. Facilmente se descobrem novos lugares ou atividades para fazer todas as semanas. 

 

Ingressar numa licenciatura que sempre desejámos permite-nos conhecer outros com quem temos mais coisas em comum, o que contribui para um maior sentimento de comunidade.

Se você ainda não leu o post anterior, sobre universidades em Portugal, segue abaixo o link:
Vida Universitária em Portugal - Post 1 | Entenda como funciona uma universidade portuguesa

Veja também o próximo e último post dessa série:

Vida Universitária em Portugal - Post 3 | Como Portugal pode me ajudar a construir o meu futuro?

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK