Voltar ao site

Vida universitária em Portugal

Ofertas e decisões de carreira de quem vive em terras portuguesas

· Portugal Cotidiano,Estudantes

Por Joana Rodrigues

Entenda como funciona uma universidade portuguesa.

Enquanto jovens estudantes, passam anos a dizer-nos que a ida para a universidade será a decisão mais importante das nossas vidas. Escusado será dizer que é imensa a pressão que nos é exercida, para que façamos a escolha certa (mas, afinal, o que é certo?).

Quando chegou a minha altura, de repente vi-me confusa e assoberbada com a quantidade de possibilidades à minha volta. Apenas uma coisa eu sabia: ia ficar a estudar em Lisboa. Depois, tive de fazer uma pesquisa intensiva para saber tudo o que me era oferecido e que eu podia alcançar.

Universidades Públicas e Privadas
Em Portugal, as universidades são distinguidas entre públicas (em que o Estado exerce um maior controle, por exemplo na definição de um valor máximo das propinas anuais, de 856€ - "propina" aqui significa mensalidade ;) - e privadas (em que a própria administração da universidade tem uma maior liberdade de limitar certos aspetos).

Para entrar num curso, os alunos do ensino secundário (e não só) candidatam-se com a sua média de notas ao longo dos 3 anos. Cada curso tem um número de vagas, sendo que estas vão sendo preenchidas por ordem de média decrescente. Assim, chega-se a um valor que se chama a “média do curso”, que corresponde à nota do último aluno colocado. Este número serve de indicação para os candidatos do ano seguinte se guiarem, para tentar determinar se entram ou não.

Socialmente, a média de um curso é um indicador do seu prestígio. Ou seja, quanto mais alta for (sendo que o máximo é 20), mais valor e notoriedade são atribuídos aos alunos do curso. Mas não se deixem levar pelos números, porque não são as notas que definem os alunos. Apesar da reputação de certas instituições, a universidade onde estudamos não define onde vamos trabalhar ou quem vamos ser, porque este é um percurso construído por cada um de nós.

Cidades universitárias portuguesas

Existem, em Portugal, três grandes cidades universitárias, em que há uma maior concentração de diferentes instituições e faculdades: Lisboa, Coimbra e Porto. Ao contrário de outros países, as universidades não têm necessariamente todos os seus edifícios no mesmo campus. Uma vez que estas são divididas em faculdades, acontece que pode haver diferentes escolas da mesma universidade em zonas separadas (sendo que são divididas consoante a área científica: Letras, Artes, Ciências Sociais, Ciências e Tecnologias, etc). 

Na capital, destacam-se a Universidade de Lisboa e a Universidade Nova de Lisboa (UNL), que têm as suas faculdades espalhadas pela cidade (no caso da UNL, a distância é maior, havendo polos em Carcavelos e em Almada). 

Que carreira seguir?

Quando chegam ao final do 12º ano, a maior parte dos alunos têm dificuldades em definir critérios para fazer a melhor escolha possível para o seu futuro académico. A dica mais importante que eu, enquanto estudante universitária, posso dar é: priorizar. Definam as suas prioridades em todos os aspetos possíveis (localização, dinheiro, futuro no mercado de trabalho, possibilidade de ir para o estrangeiro, interesse pelo próprio curso).

O meu processo decisão foi feito à última hora, só decidi a universidade para que queria ir no momento em que preenchi a minha candidatura. Uma vez que vivo a 40 minutos de Lisboa, para mim a localização foi a prioridade #1. Depois, comecei a pensar no meu futuro. O que é que eu quero ser? Cheguei à conclusão de que quero escrever, mas rapidamente percebi que não existe uma licenciatura de artes da escrita ou algo que se pareça. As minhas opções eram Línguas, Literaturas e Culturas, ou Ciências da Comunicação (e foi esta a escolha que eu decidi deixar para o fim). Assim, tive de pensar na questão do dinheiro. Não tinha qualquer problema em pagar uma universidade privada, mas a realidade é que tinha notas altas o suficiente para entrar onde quisesse, portanto optei pelo ensino público.

Hoje, terminei o meu primeiro ano da licenciatura em Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Apesar do turbilhão de emoções que foi tentar escolher um curso, no meio de centenas que me eram oferecidos, acho que fiz a escolha certa. Porque, ainda que a licenciatura tenha um grande peso, posso chegar onde quiser, porque o meu percurso é construído por mim, e vai muito além dos estudos.

Leia o segundo post da série sobre universidades em Portugal! Segue abaixo o link:
Vida Universitária em Portugal - Post 2 | A vida social é um dos fatores que mais atraem estudantes

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK